Crítica do Filme It – A Coisa (2017)

It – A Coisa estreeou esta semana como um terror bem moderado.

Com uma propaganda muito bem elaborada, It – A Coisa, vem com a promessa de invadir seus pesadelos. Baseado na obra de Stephen King, o terror retorna às telas com uma antiga fórmula de sucesso. Mas espera um pouquinho…

Começaremos com uma rápida sinopse do filme It – A Coisa. Na cidade Derry, década 80, sete amigos se juntam para “investigar” o desaparecimento do irmão mais novo do líder do grupo. Descobrem que uma entidade foi a responsável pelos desaparecimentos da cidade e que retorna a cada 27 anos.

Pronto, agora você sabe o que esperar do filme. Mas devo fazer algumas considerações quanto ao que foi realmente visto.

O filme teve seu glamour, apesar de muitos tentarem comparar com a mini-série de TV (que foi exibida em 1990) e com o livro de Stephen King de 1986. Gente, é impraticável tentar colocar em um filme de 2h15 toda a trama de 1300 páginas que o autor escreveu. O trabalho em It – A Coisa feito pelo diretor Andy Muschietti foi bom e devemos considerar que haverá continuação.

As crianças foram bem retratadas, embora tenha faltado um pouco de tempero na personalidade de Mike. Aparentemente ele só serviu para fazer número e não desempenhou nenhum papel crucial na trama até quase o final. Acho que o personagem não foi bem trabalhado, embora o ator Chosen Jacobs tenha sido muito bom.

Da esquerda para a direita: Eddie, Bill, Mike, Stanley, Beverly, Ben e Richie

The Losers Club (Clube dos Perdedores), como se autodenominam as crianças, foi dublado como Clube dos Otários. Pegaram pesado na minha humilde opinião, pois perde-se um pouco da essência do grupo.

A origem e o objetivo de Pennywise, o palhaço, não foram explicados. É apenas retratado como um montro que aparece a cada 27 anos. Faltou significado ao pesonagem, mas isso não impediu o ator Bill Skarsgard de representar com maestria o quanto ele pode ser aterrorizante.

Faltou dar uma ênfase à influência da entidade na cidade. Por que ela se alimenta dos medos das pessoas? Por que as pessoas não falam sobre ela? Por que ela influencia tanto o valentão Henry Bowers (Nicholas Hamilton)? E essa última pergunta ainda vem com uma explicação extra. Henry é um personagem extremamente complexo e simplesmente virou capacho do palhaço por achar legal.

Embora existam clichês de terror no filme, um ponto muito positivo do diretor foi utilizar pouco deste recurso para assustar. O grande desafio foi voltar às origens do terror, que não deve ser uma sequência desenfreada de sustos.

Eu esperava mais deste clássico do terror. Ainda mais sabendo que ele já tinha vindo com a receita para o sucesso. Não chegou a ser uma decepção, mas também não foi motivo de aclamação.

It – A Coisa 
Duração: 2h e 15min
Direção: Andy Muschietti
Elenco: Bill Skarsgård, Sophia Lillis, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard, Jack Dylan Grazer, Wyatt Oleff, Chosen Jacobs e Jeremy Ray Taylor
Nota: 2,5/5

Anderson Dias

Programador, professor de informática, nerd, geek, rato de biblioteca, CDF, entre outras qualidades!! Muito bem casado <3 e sempre disposto a viver a cada dia essa alegria que é estar ao lado da pessoa amada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *