Crítica do filme Star Wars – Os Últimos Jedi

Como presente de Natal nos últimos 2 anos, Star Wars tem lançado seus novos filmes. E em 2017 não poderia ter sido diferente, estreou em todos os cinemas Star Wars – Os Últimos Jedi.

Para quem acompanha a saga desde 1978, a galáxia parece que voltou a ficar distante. Mesmo com todos os efeitos especiais fantásticos e as cenas de ação com os sabres de luz, a história do universo de Star Wars (Guerra nas Estrelas para os mais velhos experientes) deixou a desejar.

Vamos começar pelo básico. A primeira parte lançada da trilogia, episódios IV, V e VI, nos apresenta o vilão mais icônico de todos os tempos, Darth Vader. Conhecemos também um universo inteiramente novo onde descobrimos a Força. Que pode ser utilizada tanto para o bem quanto para o mal. Soubemos da guerra milenar que ocorre entre os Jedi e os Sith, respectivamente o lado bom e o lado sombrio da Força. E queríamos muito ter um sabre de luz pra brincar!!!

Ao término desta trilogia, a emoção foi forte na redenção do Darth Vader. A tristeza de ver dois mestres Jedi caírem, sendo um em batalha e outro pela idade. A alegria de ver este universo livre das garras do Império. E pensar que todos viveram felizes para sempre.

Mas em 1999, as preces dos fãs foi ouvida e a história de como surgiu o maior vilão de todos os tempos começou a ser contada. Toda a saga envolvendo Anakin Skywalker foi revelada, desde sua infância até a glória como herói e depois a decadência. Tudo explicado nos episódios I, II e III.

Quando foi anunciada uma nova trilogia, continuando a história que foi finalizada em 1983. Muitos fãs ficaram apreensivos e ansiosos com a notícia, inclusive a gente. Acreditaram que poderiam estragar a saga que fez milhares de fãs por várias gerações. Mas para o bem geral da nação, o filme surpreendeu para melhor como dissemos aqui.

Infelizmente, este novo filme acabou deixando a “peteca cair”. Todas as teorias e apostas que esta continuação seria emocionante, tiveram um balde de água fria jogado na cabeça. Ok, eu sei que muitos se apaixonaram pelos Porgs e eu também quero um pra mim, mas só isso não basta. As cenas de batalha ficaram incríveis e as lutas de sabre de luz foram muito bem feitas, quase uma dança.

Mas temos que lembrar que depois de tanta emoção para os fãs em 7 episódios, esperávamos mais de enredo e um vilão de respeito. O grande vilão dessa vez é Kylo Ren, filho de Leia Organa e Han Solo. Mimado, birrento e com raivinha no coração ele quer seguir os passos do avô, Darth Vader, e nem se preocupou em ter a auto disciplina que ele tinha. Desapontado, eu esperava que o sucessor da tirania fosse o temido Snoke que fez aparições incríveis no episódio anterior. Outras decepções ao longo do filme também foram minando minhas esperanças. Um grande romance entre heróis em um planeta corrupto??? Voltar a uma nave após a cabine ser destruída e ser arremessada inconsciente a dezenas de metros longe no espaço??

Todas essas falhas tornam o filme quase esquecível, ele é ótimo como um filme de aventura/ficção científica, mas deixou a desejar como sequência de uma das mais aclamadas séries de filme já vista.

Star Wars – Os Últimos Jedi
Duração: 2:32 horas
Direção: Rian Johnson
Elenco: Daisy Ridley, John Boyega, Carrie Fisher, Oscar Isaac, Adam Driver, Mark Hamill, Kelly Marie Tran, Andy Serkis, Lupita Nyong’o, Anthony Daniels e Jimmy Vee
Nota: 2,5/5

helgawtakeno

Vim para Indaiatuba em 2010 e me apaixonei pela cidade. Sou cinéfila, jornalista, designer gráfica, trabalho com mídias sociais também. E sou nerd com muito orgulho. Espero que gostem da minha visão sobre Indaiatuba e meus conselhos sobre filmes, culinária, e o que mais vier. Esse blog é feito com muito carinho ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *