Crítica do livro O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

Febre na Bienal do Livro de 2016, os livros de Ransom Riggs ganharam o mundo e as telonas. Com direito a filme de Tim Burton, o livro O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares se tornou famoso.

Não vou conseguir falar do primeiro livro apenas. Pois são 3 livros principais, depois de O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares temos A Cidade Dos Etéreos e Biblioteca de Almas. Mas estou me precipitando, vamos falar do primeiro livro.

E para falar de O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, vamos esquecer o filme, ok? Adoro Tim Burton, mas ele fez uma caquinha muito grande (confiram no video aqui). Então vamos aos fatos: o mais emocionante do livro é que ele mescla uma história fictícia com fotos reais. Sim, todas as fotos no livro são autênticas, sem photoshop. Elas foram emprestadas de arquivos pessoas de 10 colecionadores, pessoas que passaram anos e horas incontáveis revirando caixas gigantes de retratos de todos os tipos em brechós (comum nos EUA).

Eu gostei muito da homenagem que o autor Ransom Riggs faz para esses colecionadores, falando sobre uma “beleza da obscuridade”. Pois essas imagens não são muito valorizadas. Então esse trabalho é incrível. Acho que eu demorei mais tempo observando as fotos do que lendo o livro. E isso é um grande diferencial.

A história em si do primeiro é bem empolgante. A leitura é agradável e tem um ritmo bom. Conta a história de Jacob que vai atrás para descobrir quem matou seu avô (por mais que as pessoas tentem mostrar para ele que no caso se seu avô, a morte foi acidental). Então ele viaja para o País de Gales para descobrir sobre o misterioso Orfanato da Srta. Peregrine.

O primeiro livro em si é fantástico,  logo você quer pegar o próximo para ler. Como eu havia comprado os 3 na Bienal do livro, consegui fazer isso. O problema começa aqui. O primeiro livro e até metade do segundo são tão incríveis e então começa o declínio.

Talvez o autor não soube como encerrar de uma maneira digna, ou se perdeu a mão mesmo. Só sei que o terceiro livro foi meio arrastado (parecia mais do mesmo). Por mais que fosse criado elementos novos no A Cidade dos Etéreos e Biblioteca das Almas, parecia meio forçado. O que eu mais gostei do primeiro livro foi a ideia do “e se fosse verdade…”. Já no segundo eu não sinto essa aproximação. Fui automaticamente me distanciando da história e ela passou a ser somente isso, um conto e não algo envolvente.

Eu achei uma pena, sinceramente, pois as fotos ainda me fascinavam. Mas a história em si, deixou a desejar.

E vocês? O que acharam?!

Bjussss

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares 
334 páginas
Ransom Riggs
A minha edição é da Leya, mas agora sei que foi para a Intrísceca
Nota: 4/5

A Cidade dos Etéreos
383 páginas
Ransom Riggs
Editora Intrínseca
Nota: 3/5

Biblioteca das Almas
408 páginas
Ransom Riggs
Editora Intrínseca
Nota 2/5

helgawtakeno

Vim para Indaiatuba em 2010 e me apaixonei pela cidade. Sou cinéfila, jornalista, designer gráfica, trabalho com mídias sociais também. E sou nerd com muito orgulho. Espero que gostem da minha visão sobre Indaiatuba e meus conselhos sobre filmes, culinária, e o que mais vier. Esse blog é feito com muito carinho ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *